Painel do Rio Doce

A Bacia do Rio Doce

Em novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão, instalação de armazenamento de rejeitos do processamento de minério de ferro das minas da Samarco no Estado de Minas Gerais, liberou 39,2 milhões de m3 de rejeitos, resultando em graves danos ambientais, econômicos e sociais, além de 19 mortes. O vazamento de rejeitos percorreu aproximadamente 650 km desde a barragem, descendo pelo Rio Doce, até chegar ao Oceano Atlântico.

Tailings mud reaches the Atlantic Ocean Photo: © Arneu Aregio

As ações de emergência realizadas pela Samarco foram consolidadas no Termo de Ajustamento de Conduta (TTAC), que prevê 42 programas de reparo socioambiental e socioeconômico de curto, médio e longo prazo, e incluem uma série de medidas de remediação voltadas para o retorno do sistema fluvial às condições pré-existentes e programas compensatórios destinados a deixar um legado positivo e duradouro.

As empresas, em estr House affected by tailings mud in Bento Rodrigues, 2017 Photo: © IUCN/ Carolina Dellama eita coordenação com órgãos governamentais, criaram a Fundação Renova, uma organização privada, sem fins lucrativos, que recebe doações para desenvolver e implementar os programas.

Em 2016, a Fundação Renova solicitou à UICN a criação de um Painel Independente de Assessoria Técnica e Científica (ISTAP), a fim de fornecer orientação técnica para a grande restauração em andamento na bacia do Rio Doce. A UICN buscou informações sobre o desenvolvimento e o design do painel de partes interessadas relevantes, incluindo representantes das comunidades locais, ONGs, governo e universidades no Brasil e em outros lugares.

Saiba mais sobre a Fundação Renova.

Area where the Fundão dam was located. 2017. Photo: © IUCN/ Carolina Dellama

 

Go to top