Produtores de tabaco buscam espécies nativas para produção sustentável de lenha no Brasil

A cadeia produtiva de tabaco é atualmente de grande importância econômica e social, sendo o Brasil o maior exportador do produto no mundo todo. Para o processamento das folhas, é necessária a secagem com a utilização de lenha, a qual tem sido obtida a partir do plantio de espécies exóticas, como Pinus e Eucalyptus, afetando decisivamente a composição da paisagem. 

Agricultor Brasil

Em virtude da magnitude dessa atividade, das consequências ecológicas do uso de espécies não-nativas e da necessidade crescente de amenizar os impactos de origem humana sobre as áreas naturais, faz-se necessário reestruturar a prática de obtenção de lenha, manejando a paisagem de forma mais sustentável e de maneira economicamente viável e rentável.

O projeto Cadeia Sustentável de Fornecimento de Lenha busca dar suporte ao desenvolvimento e implementação de práticas mais sustentáveis de obtenção de lenha usada no processamento e secagem das folhas de tabaco, garantindo a articulação dos diferentes stakeholders (produtores familiares, fazendeiros, instituições governamentais e representantes do setor privado), incentivando a diversificação da produção nas propriedades.

“Em 2013, entrevistamos 244 produtores de tabaco em 33 cidades do Sul do Brasil, com resultados interessantes”, afirma Richard Eilers Smith, Coordenador geral do projeto. “Destes, 66% tem pouco ou nenhum conhecimento sobre as leis ambientais. O uso de espécies nativas, apesar de ter um grande potencial, é mínimo, visto que os produtores temem ser objeto de fiscalização ambiental. A produção de lenha não inclui critérios ou práticas de silvicultura, o que gerou a degradação de suas terras”.

Para Rodrigo Bicudo Merege, Coordenador técnico - Instituto Çaracura, o desafio de melhorar a produção, com eficiência e produtividade, é grande. “A principal mudança é substituir as espécies exóticas de madeira (pinus e eucalipto) que as famílias utilizam por espécies nativas como a Bracatinga. Além disso, é necessário implementar o tema de parcerias com outras entidades de governo e empresas para multiplicar o efeito do manejo ecológico de paisagens. Finalmente, é importante obter a consolidação de casos piloto, exemplos de êxito de propriedades que são rentáveis, utilizam espécies nativas e respeitam as leis ambientais”.

O projeto, conduzido pela UICN e parceiros e financiado pela Philip Morris International, fornecerá suporte técnico necessário para a obtenção de madeira mais sustentável na cadeia produtiva do tabaco na região sul do Brasil. Além disso, busca articular os atores-chave de diferentes setores da sociedade para definir uma visão de futuro comum e planos de trabalho detalhados para o estabelecimento de duas Comunidades de Conhecimento em silvicultura e manejo de espécies nativas, especialmente focadas na produção de lenha na região produtora de tabaco.

Location: 
South America
Brazil
Go to top